A CPA

A preocupação com a Avaliação Institucional na UFSC cresceu junto com a necessidade de elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), pois a avaliação é uma atividade integrante do ciclo da melhoria contínua (planejar, executar, avaliar e agir corretivamente). O histórico do planejamento da UFSC está detalhado em seu PDI (2015-2019) e remonta a fundação da UFSC em 1960.

A instituição da Comissão Própria de Avaliação (CPA), pela portaria n.º 453/GR/2004, de 02 de julho de 2004, marcou o início do Programa de Autoavaliação Institucional (PAAI) na UFSC. Após a concepção e aprovação do seu regimento interno pelo Conselho Universitário, através da Resolução nº 013/CUn, de 07 de junho de 2005, posteriormente aprovado pela Reitoria por meio da Portaria n° 327/GR/2005, de 11 de abril de 2005, a CPA elaborou o primeiro Programa, obedecendo às orientações e aos princípios do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SiNAES), instituído pela Lei n.º 10.861, de 14/04/2004. Em 27 de setembro de 2011, a Portaria nº 32/GR/2011 estabeleceu um novo regimento para a CPA. Atualmente, o Regimento da Comissão é de 20 de novembro de 2014, regulado pela Resolução Normativa nº 45/CUn/2014. 

O PAAI tem sido coordenado pela CPA desde sua criação. Em 2008, a Comissão passou a ter suporte administrativo da Secretaria de Planejamento (SEPLAN), transformada, posteriormente, em uma Pró-Reitoria (PROPLAN). A CPA conservou, entretanto, sua autonomia.

Do ponto de vista da estrutura administrativa, a CPA hoje está vinculada diretamente ao Gabinete da Reitoria como órgão assessor, sem estar hierarquicamente subordinada ao mesmo, pois conta com autonomia de ação. Em 2015, foram criados os Núcleos de Apoio às Avaliações (NAAs) em cada campus com o objetivo de assessorar nas atividades desempenhadas pela Comissão, as quais consistem em conduzir os processos de avaliação interna: a autoavaliação institucional e a avaliação de curso.